sábado, 17 de maio de 2014

É isso ai...


Depois da saúde, o bem mais importante é a paz interior

Em todas as viagens, o Guia de Turismo, sempre tem alguma lenda para contar, ou uma historia que desperta a curiosidade dos turistas. E aqui vai uma que alguns já devem conhece-la: “A lenda de Santo Ângelo: Reescrevo na íntegra o que consta no livro de Isaac Grinberg – Mogi das Cruzes de Antigamente – Editora Saraiva – 1964, diz assim: “Entre as muitas lendas e crendices do folclore mogiano, uma das mais interessantes é, certamente, a de Santo Ângelo.

No atual distrito de Jundiapeba, de nosso município, há até hoje a capela de Santo Ângelo, que data de 1738. A imagem daquele santo que ali se venerava, tinha, para os antigos mogianos, uma propriedade ímpar: fazia chover.

Por isso, quando havia secas prolongadas a população e especialmente os lavradores rezavam para o piedoso santos e pediam-lhe as desejadas e salvadoras chuvas.

Aos poucos, entretanto, modificou-se a idéia original: não bastava rezar. Era preciso trazer a imagem de sua capela para a igreja de Mogi e aqui deixa-la até que chovesse. Como o santo não gostava de ficar fora de seu verdadeiro altar, intercederia para que logo chovesse e ele pudesse, assim, voltar para a sua capela...