sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

É isso ai... (continuação: Monumentos de Mogi)

“Não podemos fazer tudo imediatamente, mas podemos fazer alguma coisa já.”

No domingo último, 26, me deparo com a triste notícia: “Abandono danifica monumentos” no jornal O diário que percorreu a cidade em companhia da arquiteta restauradora Vanessa Kraml e, visitou dois monumentos podendo constatar que estão sem manutenções. Não só a falta de manutenção, mas a prática de vandalismo faz aumentar o risco de perdemos valiosos monumentos que contam um pouco da história da Cidade. Mas o lado bom é que, neste caso, o jornal O Diário, publicou no dia 28: “Monumento – abandono é criticado – “Parece que a gente está falando com as paredes”, afirma o autônomo João Benedito Camargo , a respeito do estado de conservação dos monumentos históricos espalhados por Mogi das Cruzes. Defensor do patrimônio cultural, histórico e artístico da Cidade, diz, conforme o jornal, que a Prefeitura deve viver numa outra cidade, por afirmar que realiza manutenções regulares nas peças. Então, os monumentos visitados foram: Estátua do ex-prefeito Waldemar Costa Neto, monumento em homenagem aos expedicionários, o busto do ex-presidente Getúlio Vargas e o Obelisco na praça central, além da escultura de Zumbi dos Palmares e ainda o Monumento ao Imigrante Japonês. Todos eles, necessitam de manutenção e devem ser preservados, pois ai está parte de nossa história, são monumentos dignos de serem visitados e acompanhados pelos Guias de Turismo, que se formam semestralmente pela Etec Presidente Vargas de Mogi das Cruzes. Portanto, vamos aguardar, não só a palavra do Poder Público, mas sua ação imediata. E se falando em monumentos, vamos lá:

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

É isso ai...

 “Não existe grandeza onde não há simplicidade, bondade e verdade”

Passeando por nossa Mogi das Cruzes, pude observar que existem alguns monumentos e por vezes passamos por eles, sem saber seus significados, sem saber o “por que estão onde estão”. Todos eles, tem seu significado e sua história e deveria ser parte integrante do ensino nas escolas. Bem, mas daí é outra conversa. Vamos lá:

AVIADOR
Localizado bem à frente do Santuário do Bom Jesus do Matosinho (leia-se Igreja de São Benedito) e do Largo do Bom Jesus (atualmente os jovens costumam dizer que é a praça da Mirela) na rua Dr. Correa, foi inaugurado em 06/fev/1949 e deve-se a homenagear os aviadores Joaquim Frederico Mulheise e Wilson Abreu, vítimas do acidente aéreo ocorrido em 01/set/1948, aniversário da cidade e que jogavam papéis picados e flores sobre a multidão que participavam das comemorações. O motor do avião Paulistinha sofreu uma pane e espatifou no chão. O monumento, a reprodução da hélice partida, foi a maneira dos mogianos de homenagearem os dois jovens e consta na placa: “Cumprimos o nosso dever – Joaquim J. F. Mulheiser e Wilson A. Abreu + 01/09/1948”

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Isto é... Turismo!

“Quem cultiva uma flor, embeleza o mundo e faz alguém feliz”

Essa é uma frase no site da Orquidácea em Guararema, cidade vizinha de Mogi das Cruzes. Um passeio que vale a pena. Um local que não pode deixar de ser visitado quando você passar por aquela cidade. A Orquidácea é o fruto de uma história de amor entre Roberto Giorchino e as orquídeas, que começou ainda na mocidade, quando era estudante. Sua mãe, D. Cecília B. Giorchino possuía em casa, aproximadamente trinta vasos e nos períodos de descanso dos estudos, ele ajudava a cuidar de suas plantas, o que lhe trouxe experiência e amor pelo cultivo das orquídeas. Em fins da década de setenta, faleceu o renomado orquidófilo, Sr. José Dias Castro que possuía um acervo muito significativo. Roberto Giorchino, por sua vez, vislumbrando o futuro, adquiriu aquelas plantas, levando-as para Guararema, com um clima ideal, onde fundou, em meados de 1979, o Orquidário Pérola do Vale, hoje conhecido nacionalmente como Orquidácea. Considerado por seus clientes e admiradores das orquídeas, um dos melhores orquidários do Brasil, em termos de organização, limpeza e qualidade de cultivo, a Orquidácea produz, em média, 150.000 mudas / ano, atendendo, sempre as últimas tendências do mercado, com as melhores matrizes nacionais e internacionais. As excursões devem ser realizadas com dia e hora marcados. Maiores informações : (11) 4693-1652 ou www.orquidacea.com.br

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Feliz 2014! Isto é... Turismo!

É isso ai... Feliz 2014 à todos os Guias de Turismo, Turistas e todos nossos leitores. Retornei à cidade esta semana, após uma viagem ao litoral norte, mas confesso que, por mais que outro lugar seja magnífico, com suas praias e belezas, a nossa Mogi das Cruzes, nos dá aconchego, nos dá prazer, nos satisfaz, enfim, nos faz sentir em casa, com nossa família, afinal: “nossa casa é nossa casa”. E buscando notícias na imprensa local constatei que o Trem Turístico virá à nossa cidade, uma vez por mês. Isso mesmo, somente uma vez por mês e, sabe-se lá o motivo, pois desde sua criação em Junho de 2009 pela Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos e pela Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, com o apoio da Prefeitura de Mogi e da Secretaria de Estado do Turismo, o Expresso Luz-Mogi, as viagens eram quinzenais. Nem vou questionar, mas se observarmos as viagens, enquanto o percurso Luz-Jundiaí é realizado todos os sábados e o percurso Luz-Paranapíacaba, pelo menos, três vezes, o de nossa cidade continua com previsão de apenas uma viagem por mês. Com a palavra, nossos administradores públicos.