sábado, 30 de novembro de 2013

É isso ai... 2ª parte...

Na semana passada escrevi sobre a Igreja do Rosário, muitos amigos recordaram a época e outros sequer sabiam de sua existência e mais, que a imagem, encontra-se estampada em painel de vidro, justamente defronte ao local que pertencia.

Sim. Recordações boas e não tão, aos nossos Guias de Turismo, que perderam um ponto turístico à ser mostrado.
Nesta semana, um local para apreciar e, marco também de nossa cidade, é o Largo do Carmo. Ele faz parte de um dos mais importantes complexos arquitetônicos de nossa cidade, pois lá podemos observar as Igrejas da Ordem do Carmo, Teatro Vasques, a sede da Corporação Musical Santa Cecília, além do Casarão do Carmo, onde funciona o Museu Visconde de Mauá com um belo acervo de nossa história que vale a pena ser visitado. Uma imagem de Nossa Senhora do Carmo completa a bela paisagem do largo..

A “Província Carmelita de Santo Elias” possui duas igrejas tombadas e restauradas pelo IPHAN – Instituto Histórico e Artístico Nacional – as Ordens Primeira e Terceira do Carmo, origem do nome da praça, restaurada algumas vezes e um dos locais mais bonitos, segundo os mogianos. Ponto de encontro para jovens e casais, o espaço ainda é utilizado como palco para shows e apresentações artísticas; um verdadeiro espaço cultural e histórico ao ar livre, merecedor da apreciação do turista e estudo de nossos Guias.

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

É isso ai...

Revendo artigos, deparei-me com um que toca o coração de muitos mogianos: “sobre a Igreja do Rosário”, que muitos, com certeza, sequer imaginam onde é, ou melhor, onde era. Tratava de uma construção setecentista que ficava na rua D. Deodato Wertheimer. Igreja simples, mas com seus referenciais comunitários, a Igreja do Rosário, tinha ao seu lado, o velho mosteiro de carmelitas enclausuradas, um conjunto de pequenos quartos nos fundos da igreja, à qual se chegava por um acesso na lateral esquerda do templo. Ali, viveu, até meados da década de 1950, a congregação de madre Tereza Margarida do Coração de Maria. Mineira da Borda da Mata, ela chegou ao mosteiro em 1936, com 21 anos. Fundou o Carmelo São José em Três Pontas/MG, logo após que sua congregação, pela absoluta falta de habitabilidade do espaço, deixou o mosteiro do Rosário. Era na época de 1948 e 1949, que as hóstias eram fabricadas pelas freiras enclausuradas que se utilizavam de uma portinhola, que se abria pela metade, não dando sequer oportunidade de serem vistas. As carmelitas permaneceram no Rosário, até meados de década de 1950. Foram-se para outro mosteiro no Vale do Paraíba. Nessa época, a construção já estava muito deteriorada: as paredes de taipa comprometidas pela infiltração de água e o madeirame infestado por cupim. A Igreja e o Mosteiro do Rosário ficaram abandonados, fechados (não existiam invasores como nos dias de hoje). Eram outros tempos.

domingo, 17 de novembro de 2013

É isso ai...

Desde 2003, na data de 20 de novembro é comemorada o Dia Nacional da Consciência Negra. Essa comemoração é dedicada a inserção do negro na sociedade brasileira. A instituição da data é tida como uma grande vitória e foi resultado do surgimento de movimentos por todo o Brasil. O dia se refere ao dia da morte de Francisco (nome de batismo, dado pelo padre português Antônio Melo, que o criou), ou Zumbi dos Palmares, nome que foi adotado por ele e com o qual ficou conhecido em 1695. Considerado um grande líder, Zumbi se tornou chefe do Quilombo dos Palmares em 1680, com 25 anos. Em 1694, o bandeirante Domingos Jorge Velho organizou um grande ataque ao quilombo. Após intensa batalha, Macaco, a sede do quilombo, foi totalmente destruída. Mesmo ferido, Zumbi conseguiu fugir, mas foi traído por um antigo companheiro e entregue às tropas do bandeirante. Em 1695, aos 40 anos, foi degolado. Hoje, Zumbi é considerado um dos principais símbolos de luta pela liberdade de culto, religião e prática da cultura africana no Brasil.

FESTIVAL DE CULTURAS NEGRAS

A Secretaria Municipal de Cultura de nossa cidade realiza neste sábado o primeiro Festival de Culturas Negras, que prossegue até o final do mês. Vamos ter em vários pontos da cidade, atividades incluindo seletiva do concurso Miss Afro Mogi 2013. (programação completa no www.cultura.pmmc.com.br).

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

2º Artigo do Edson Duarte

Nasci em Mogi das Cruzes na década de 60, desde criança meu pai ensinava nomes de ruas e lugares da cidade para, um dia poder orientar as pessoas para onde fossem, ou seja, ser prestativo e assim surgiu minha “veia turística”.

Adepto ao budismo há 24 anos, dedico momentos diários de minha vida com a recitação do mantra “Nam-Myoho-Rengue-Kio”. Membro da Associação Brasil Soka Gakkai Internacional - sigo os ensinamentos do buda Nitiren Daishonin.

Foi no curso de Agenciamento de Viagem da ETEC PV que acabei despertando ainda mais o gosto pelo Turismo, através de incentivos dos professores e percebendo ainda mais a importância desses profissionais do Turismo.

Já participei de algumas viagens, conhecendo algumas cidades tais como Manaus, Curitiba, Florianópolis, Rio de Janeiro, Brasília, Foz do Iguaçu, Buenos Ayres, São Lourenço, Passa Quatro, Ribeirão Preto, dentre outras, mas é em Mogi das Cruzes que gosto de viver e me sinto em casa confortavelmente, afinal, Mogi das Cruzes é uma Cidade exuberante e ainda pouco explorada pelos Turistas, que aos poucos vem nos visitar, se encantando com o Ecoturismo, o Rural, o Religioso e o Cultural que temos à oferecer, mas temos ainda mais para mostrar.

Então... aqui vamos nós:

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Mogi para Mogianos - Roteiro Rural/Religioso

Neste ultimo domingo tivemos mais um City Tour Mogi para Mogianos com o roteiro rural/religioso onde visitamos o Orquidário Oriental e Mosteiro Camaldolense. O dia estava Sensacional com muito Sol e os Passageiros também foram Sensacionais..

Veja as Fotos!!!

 

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Isto é Turismo!!!

Quando criança, em um passeio com meu pai, pela cidade, ouvi a seguinte orientação: “fique sempre atento aos nomes das ruas”, e mais: “saiba de onde elas iniciam e também onde terminam”

Perguntei à meu pai, o motivo de eu ter que fazer isso, que, de pronto , respondeu: “Quando surgir alguma pessoa perdida na cidade ou pessoas de outras cidades e perguntarem sobre algum lugar ou ponto que necessitam ir, você saberá explicar corretamente e com precisão. Vai estar ajudando a quem precisa e praticando uma boa ação”.

Nunca imaginei que, naquele momento me fluía uma veia turística e assim, fui aprendendo os nomes das principais ruas, além de pontos que pudessem ser visitados.

Cresci, e minha vontade de apresentar nossa cidade às pessoas foi crescendo, a ponto de me aprimorar e me formar em Guia de Turismo (Araçatuba/SP) e voltar à cidade para ingressar no Curso Técnico em Agenciamento de Viagem (ETEC Presidente Vargas), onde juntamente com demais colegas, me desperta a cada dia o interesse pelo Turismo e mais ainda, pelo Turismo Regional do Alto Tietê.
Tantas pessoas, tantos lugares, à vezes, nunca vistos ou visitados por turistas que chegam em busca de aventuras, de conhecimento, de lazer, de paz, de história e tudo isso e muito mais, podendo ser localizado em nossa cidade, em nossa região.